Revestimentos

Rolos de pintura: conheça os tipos 

Uma mão segurando um rolo de pintura enquanto pinta uma parede com tinta azul.

Os rolos de pintura são um dos primeiros itens na lista de quem quer mudar o visual de um ambiente ou deseja um acabamento único e personalizado. Para uma pintura perfeita é fundamental considerar alguns critérios.

Um deles é entender entre os diferentes tipos de rolos, qual é o melhor para a superfície e o tipo de tinta que será usado. Saiba mais neste conteúdo!

Um rolo de pintura pintando uma parede branca de azul.

O que considerar ao comprar o rolo de pintura?

O rolo de pintura necessita de um cuidado especial, sendo a escolha correta o passo fundamental para chegar ao resultado esperado. Com isso, antes de mais nada, é preciso analisar a superfície, pois existem paredes lisas, com gesso, com textura, semirrugosas ou rugosas; além é claro, dos tipos de tinta que, juntamente com suas bases, também precisam ser considerados na hora de escolher qual rolo comprar.

Um ponto importante também, é o tamanho da superfície que vai passar pelo acabamento, pois são as suas medidas que vão definir o tamanho ideal do rolo de pintura, que pode ter tamanhos que vão dos 5 até os 23 centímetros. Os de tamanho entre 5 e 9 centímetros são boas opções para pintar janelas e portas, e para fazer acabamentos, como em áreas próximas ao rodapé e quinas; e os rolos de 15 e 23 centímetros são indicados para superfícies grandes, como as paredes. 

Por fim, e não menos importante a considerar, é que quanto maior o rolo, menor será a precisão da pintura. Assim, é válido analisar a estrutura da peça antes de adquirir.

Quando usar os diferentes tipos de rolos de pintura?

Existem diversas opções de rolos de pintura, cada uma com um fator a ser levado em conta na hora de usar. Entre os mais usados no mercado, podemos citar:

Rolos de lã para pintura

Os rolos de lã são fabricados com lã de carneiros, e são excelentes opções para o uso de tintas látex PVA, acrílicas e à base de água. Eles também são utilizados para cobrir superfícies rugosas, semirrugosas ou com texturas. Quanto maior a saliência da superfície, maior deve ser a altura dos pelos para a retenção da tinta. 

Os modelos com pelos mais baixos são mais leves, mais fáceis de serem manuseados e quase não geram respingos, aumentando a economia e a organização. Os rolos de lã mista são excelentes exemplos deste tipo de ferramenta. Eles podem ser desenvolvidos com 50% de lã de carneiro e 50% de fibra de poliéster – e neste caso, podem ser usados com tintas à base de água. 

Eles também podem ser desenvolvidos com 20% de lã de carneiro e 80% de fibra de poliéster, sendo utilizados na aplicação de produtos epóxi, proporcionando acabamentos mais finos para as superfícies lisas. Aqui também podem ser chamados de rolo de microfibra.

Dentre as variações deste rolo, ainda existem os rolos de lã especial, que são utilizados na aplicação de tintas à base de água (látex PVA e acrílicas), esmaltes sintéticos, óleos, vernizes e zarcão. 

Por fim, há também o modelo de pelos mais curtos, recomendado para a aplicação de resina epóxi e tintas à base de água (principalmente acrílicas).

Um rolo de pintura de lã.

Rolo de espuma para pintura

O rolo de espuma, ou rolo de poliéster, possui uma densidade maior e uma estrutura celular mais fina, o que faz com que ele retenha melhor a tinta. 

Ele pode ser usado com qualquer tipo de tinta sintética ou acrílica, mas só deve ser utilizado sobre superfícies lisas, garantindo excelente acabamento com esmaltes, vernizes e tintas a óleo, e em locais com fundos de madeira e metal. 

Rolo de espuma amarela para pintura.

Rolo de veludo para pintura

Esse rolo de pintura é parecido com o rolo de lã, mas os pelos são mais baixos e são as opções para os acabamentos mais lisos, em paredes sem textura e bem preparadas.

Um rolo de pintura em veludo com o cabo azul.

Quais são os cuidados para preservar o rolo de pintura?

Mais que escolher o rolo de pintura ideal, é preciso saber como utilizá-lo e quais os cuidados de preservação. Assim, você garante maior tempo de vida útil da ferramenta e também contribui com a qualidade da pintura nas próximas utilizações. 

Uma dica básica, mas nem sempre mencionada para preservar os rolos de lã, é lavá-los antes do primeiro uso, a fim de eliminar eventuais fios que ficaram presos durante a fabricação. Assim, acidentes não acontecerão durante a pintura.

Ao escolher os rolos de espuma, é importante destacar que eles não devem ter contato com o Thinner, porque os produtos não são compatíveis e o contato entre eles pode gerar uma reação que vai resultar na deformação da espuma. Assim, procure higienizá-los com solventes minerais.

Outro cuidado ao usar os rolos de pintura, é que caso a tinta seja à base de água, o ideal é lavar o rolo de pintura com água antes de começar o trabalho.

Indiferente ao modelo escolhido, a regra geral é nunca esquecer de limpar o rolo após o uso. No caso de pinturas com tintas à base de água, primeiro elimine o excesso de tinta com jornal para só então lavar o rolo com água e sabão; no caso de tintas com base solvente, retire o excesso com jornal e depois lave com um diluente. Com pequenos cuidados como esses, você consegue economizar e obter resultados incríveis!

Meu Álbum de Obras

Conte com as dicas de pintura do Amigo Construtor

Agora que você já conhece os tipos de rolos de pintura e como escolher cada um deles, é importante entender como preparar a superfície antes de aplicar a tinta. Para garantir a qualidade e produtividade do trabalho, há alguns passos essenciais. Para saber mais, confira nosso próximo conteúdo: Pintura de parede: saiba como preparar a superfície.

Assuntos relacionados: , , ,
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Revestimentos