Grandes Construções

Grandes Construções: conheça o Viaduto 13 de Vespasiano Corrêa 

Viaduto 13

Descubra a importância histórica e turística desse gigante da construção civil!

O Viaduto 13 de Vespasiano Corrêa, trata-se de uma obra de engenharia impressionante localizada no interior do Rio Grande do Sul. Ele começou a ser construído em 21 de junho de 1975, porém seu projeto já estava pronto desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

O Viaduto 13 tem esse nome porque é o décimo terceiro de uma sequência que começa no centro de Muçum, cidade chamada de Princesa das Pontes, onde estão localizadas outras enormes construções de concreto. 

Se você está interessado em saber mais da história do Viaduto 13 de Vespasiano Corrêa, ou “Viaduto do Exército”, como também chamado, confira este artigo e entenda a importância dessa grande obra para o Brasil, e os materiais utilizados para colocar de pé esse tipo de empreendimento!

Por que o Viaduto 13 ficou tão famoso na história do Brasil?

O Viaduto 13, localizado em Vespasiano Corrêa (cidade a 175 km de Porto Alegre), faz parte de um conjunto de viadutos ferroviários, sendo o mais alto das Américas e um dos mais altos do mundo. 

Construído pelo Exército Brasileiro no período da ditadura militar (década de 1970), essa construção tem 143 metros de altura e 509 metros de extensão. Faz parte da Ferrovia do Trigo, a EF-491 (que liga as cidades gaúchas de Roca Sales e Guaporé), no trecho entre os municípios de Vespasiano Corrêa e Muçum. 

Construção do Viaduto 13

A EF-491 foi construída com o objetivo de viabilizar o escoamento da produção agrícola de soja e trigo, que era grande na região. Para que fosse realizada, essa obra de engenharia militar contou com uma grande participação de funcionários do exército: 40 oficiais, 90 subtenentes e sargentos e 480 praças.

Embora houvesse um grande contingente de militares, a maior parte da mão de obra era formada por civis, contendo 700 funcionários e 1,2 mil contratados. 

Para a construção do Viaduto 13 de Vespasiano Corrêa, foi utilizado o processo de formas deslizantes na construção dos pilares e de treliças no tabuleiro. Além do viaduto férreo, também foram construídos 32 túneis no trecho. 

A obra, que começou em 1975, foi construída em três anos, sendo inaugurada pelo presidente do Brasil à época, Ernesto Geisel, em 19 de agosto de 1978. Desde então, essa construção foi reconhecida como um dos orgulhos da engenharia brasileira.

Como visitar o Viaduto 13, no Rio Grande do Sul?

A construção do Viaduto 13 trouxe um grande impacto para a economia local. Mas, atualmente, no máximo um trem ainda corre sobre esses trilhos por dia e durante a madrugada.

Viaduto do Exército

Por isso, muitas pessoas se aventuram a ir até lá como forma de turismo, para passear sobre os trilhos, dentro dos túneis e até mesmo subir até o alto do viaduto. Alguns ainda utilizam a construção para a prática de esportes radicais, como rapel e base jump

Vespasiano Corrêa está às margens da rodovia RS-129 e, para chegar até a base do Viaduto 13, é necessário seguir pela estrada de terra que tem início em Muçum. Há como fazer trilhas ou chegar de carro.

Para os aventureiros, um dos passeios mais interessantes para fazer no Viaduto 13 é a caminhada pela Ferrovia do Trigo. Esse trekking conta com 50 km pelos trilhos que passam pelos municípios de Guaporé, Dois Lajeados, Vespasiano Corrêa e Muçum. O trajeto conta com 21 viadutos, incluindo o Viaduto 13, 24 túneis e cachoeiras e cascatas, para deixar o passeio ainda mais completo. 

Como são construídas as pontes e os viadutos? 

Depois de conhecer a história do Viaduto 13 de Vespasiano Corrêa e sua relevância para a construção civil e o transporte ferroviário brasileiro, chega o momento de entender mais sobre esse grande empreendimento. 

A primeira dúvida que pode surgir é sobre qual a diferença entre ponte e viaduto. As duas construções são feitas com o intuito de transpor obstáculos, porém as pontes são construídas em áreas com lagos, cursos de água e mar; já os viadutos passam sobre estradas, ruas, avenidas e ferrovias.

Entre os materiais usados para a construção dessas obras de grandes dimensões, estão: 

Pedra

As pedras, como o granito e calcário, são materiais indispensáveis para essas obras, pois são resistentes à ação do tempo, como os ventos e a água. Assim, são utilizadas para a construção de alicerces e pilares das pontes e dos viadutos, visto que quase não exigem manutenção e conferem segurança ao empreendimento.

Cimento

O cimento, que participa da formação do concreto, não pode faltar na hora de erguer um viaduto. É um material maleável, mas que, depois de endurecer, torna-se altamente resistente. Porém, é um produto que pode desgastar-se com a ação da água salgada. Logo, é importante reforçá-los, utilizando, por exemplo, ferragens como o aço.

Aço 

O aço traz o reforço estrutural para as pontes e os viadutos, podendo dar mais resistência ao cimento, especialmente em longas distâncias. No entanto, cabe acrescentar que o aço pode sofrer corrosão com o tempo, exigindo uma proteção de pintura especial e manutenção.

Madeira

A madeira pode fazer parte da estrutura de pontes, porém das mais simples. Isso porque não é um material resistente à ação da umidade. Além disso, é importante que a madeira passe por um tratamento químico, a fim de aumentar sua durabilidade.

Polímeros reforçados

A construção civil tem utilizado um material mais leve e resistente que o aço na construção de pontes e viadutos: os polímeros reforçados. São materiais resistentes à ação do tempo, inclusive à água salgada, e que exigem pouca manutenção.

Quais os principais desafios após a construção de um viaduto?

O viaduto é um grande empreendimento. Desse modo, é uma obra que, depois de pronta, enfrenta vários desafios, como:

  • exposição a fatores ambientais, como vento, chuva, água do mar;
  • falta de manutenção constante;
  • problemas no sistema de drenagem, os quais impedem o escoamento adequado de água da superfície.

A construção de um viaduto, portanto, exige um projeto feito por especialistas, um estudo amplo da área onde será construído, materiais de primeira linha e mão de obra altamente qualificada para que não haja problemas futuros. E já que o assunto são obras de construção civil, se você está em Belo Horizonte, não perca tempo na hora de comprar os materiais para todas as etapas da sua reforma ou construção: acesse a loja de material de construção Amigo Construtor e encontre uma variedade de marcas e produtos!

Assuntos relacionados: , ,
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Grandes Construções