Energia

Fuga de energia e ligação clandestina: como identificar 

Relógio de luz marcando os ponteiros de consumo de energia.

Apesar da diferença entre fuga de energia e ligação clandestina ser grande, as formas de 

identificação de cada caso são similares. Enquanto a primeira é um erro técnico que pode passar muitas vezes despercebido, a segunda é feita de forma mal intencionada. Saiba mais sobre cada um deles ao longo deste artigo.

blank

Qual a diferença entre fuga de energia e ligação clandestina?

Fuga de energia é quando há “escapes” de eletricidade em um circuito elétrico de um imóvel. Ou seja, aquele fio desencapado ou mal dimensionado, emendas mal feitas ou desgastadas pelo tempo, podem ser alguns motivos para que aconteça a fuga de corrente. 

No caso da ligação clandestina há uma ação mal intencionada, ou seja, é quando ocorre um furto ou estelionato na rede elétrica. O primeiro é quando a energia é extraída direto de um poste de energia da rua, ou de um padrão de entrada de terceiros e encaminhada direto para a casa de quem furtou. Já o segundo diz respeito às ações onde a pessoa adultera a leitura de energia consumida para um quantitativo menor, de forma que ela não pague pelo total que consumiu. 

Indícios da fuga de energia ou da ligação clandestina

Para identificar que algo de errado está acontecendo com o consumo de eletricidade, há algumas formas. Entretanto, um dos principais indícios de uma possível fuga de energia é o aumento na conta de luz de forma repentina, quando a rotina de consumo se manteve.

Outros indícios são se as paredes estão aquecidas, os pontos de tomada estão quentes e com manchas escuras ao seu redor, ou amolecidas/derretidas, se seu disjuntor cai com muita frequência, e se há queda de luz frequente – na sua casa e não na vizinhança –, você pode considerar a possibilidade de uma ligação clandestina.

Teste para identificar fuga de luz ou ligação clandestina

Fazer o teste de fuga ou ligação clandestina é simples: desligue todos os aparelhos e retire-os da tomada. Apague as luzes e em seguida, fique de olho na movimentação do medidor de energia. 

Caso o seu medidor seja analógico e ele estiver se movendo mesmo com tudo desligado, é muito provável que exista fuga de corrente elétrica ou fuga de energia no local. No caso de medidor digital, verifique se a luz vermelha continua acesa ou piscando no display e se o último número subiu. Se a resposta for sim, também é sinal de erro. 

Para descartar a hipótese de ligação clandestina e identificar a origem da fuga de corrente, desligue a chave geral e observe o medidor. Se ele parar de girar, então o problema está em algum lugar da instalação elétrica. Nesse caso, você deve chamar um eletricista de confiança. Agora, caso ele não pare de girar, o problema pode estar no próprio medidor. Nessa situação, você deve entrar em contato com a empresa que fornece a energia elétrica em seu estado.

Se você verificou todos os “sintomas” acima e não identificou uma fuga de energia, o problema pode ser ligação clandestina. Quanto às origens do desvio, elas são mais complexas de identificar porque podem ser feitas junto ao seu medidor ou direto da rede pública, para desviar a corrente elétrica. Em ambos os casos, a prática é ilegal e você pode acionar a companhia de energia elétrica para verificar.

Desta forma, se você mudou para uma casa e o valor da conta de luz está com a taxa menor do que o normal, fique de olho. O antigo dono pode ter feito uma ligação clandestina no imóvel. Nesse caso, é sua responsabilidade notificar a empresa fornecedora e ela fará o reparo.

Por se tratar de uma ilegalidade, em caso de descoberta desta irregularidade há a possibilidade de multa e até prisão. Portanto, fique atento a qualquer possível irregularidade em seu imóvel.

Esteja pronto para a ocorrência de inspeção

O Termo de Ocorrência de Inspeção (TOI), conhecido popularmente como termo de ocorrência de irregularidade, é um formulário que tem por finalidade inspecionar o consumo de energia de um imóvel. Na maioria das vezes, o TOI é requerido por parte das concessionárias de energia, quando há suspeitas de furto de energia elétrica. 

Entre essas regularidades podem ter casos de fuga de energia sem conhecimento do consumidor, mas também pode acontecer manobras intencionais que alterem o real valor da conta de energia. De toda forma, caso a concessionária de energia elétrica encontre algum furto de energia em sua rede ao realizar as inspeções, ela emite esse documento para que seja possível comprovar o caso. 

Caso você tenha um TOI emitido, deve ficar atento a uma multa de cobrança retroativa referente aos meses que houve furto. Nesses casos,  o tempo máximo de cobrança retroativa permitido por lei é de seis meses. E caso você já tenha recebido a multa e discorde dos valores cobrados, converse com um advogado e um assistente técnico para esclarecer suas dúvidas e lhe orientar melhor sobre os próximos passos.

blank

Encontre mais conteúdo no portal Amigo Construtor

O Amigo Construtor tem todos os conteúdos para manter você informado e tomar as melhores decisões para a sua casa. Sendo assim, continue navegando em nosso portal e encontre mais dicas e sugestões, como do nosso próximo artigo: Como esconder cabos e fios sem quebrar paredes

Assuntos relacionados:
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Energia