Leis e Normas

Cálculo de rampa: veja como fazer 

cálculo de rampa

Uma atividade, muito comum no mundo da arquitetura, é a elaboração de projetos para a construção de rampas. Elas são soluções que facilitam a locomoção de pessoas que utilizam de cadeira de rodas, do tráfego de carrinhos de supermercados, do transporte de grandes objetos, entre outras coisas. Porém, em muitas oportunidades, o cálculo de rampa não é tão simples de se fazer e é preciso saber algumas particularidades para que o trabalho seja realizado da melhor maneira possível.

Sendo assim, acompanhe a leitura e saiba como funciona o cálculo de rampas.

blank

Quais são os tipos de rampas?

Para atender tantas funcionalidades, vários tipos de rampas já foram criados, com o objetivo de suprir cada necessidade específica da população. Uma delas, bastante utilizada, é a rampa acessível, muito usual em espaços públicos como praças, calçadas e comércios de rua.

Segundo o Código de Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos, qualquer tipo de piso, com declividade igual ou maior que 5%, é considerado uma rampa acessível.

Outro tipo de rampa, bastante comum atualmente, são as rampas de garagem. Elas são normalmente vistas em casas de rua, condomínios e estacionamentos pela cidade. Mas, como é o cálculo de rampa? Saiba, nos próximos tópicos, como fazer o cálculo de rampa, assim como a sua importância:

Qual a importância de fazer o cálculo de rampa corretamente?

Mesmo com todas as medidas e valores bem explicados e em vigor nas normas de segurança, ainda se vê, com certa frequência, cálculo de rampas feitas incorretamente. O que acontece, por exemplo, são rampas com uma inclinação muito alta, o que causa exigindo muita força de quem as for utilizá-las, principalmente se for uma pessoa com cadeira de rodas.

Com esse erro, o que era para ser uma solução, tornou-se um instrumento inexecutável, fazendo com que uma segunda pessoa ajude quem irá usar a rampa.

Portanto, fazer um cálculo de rampa eficiente, significa permitir que uma ferramenta, elaborada por profissionais capacitados, permita que pessoas superem barreiras físicas e geográficas nas ruas, clubes e instituições privadas.

Agora que você já sabe sobre a importância do cálculo de rampa correto, saiba, a seguir, como fazer um cálculo de rampa:

Como fazer um cálculo de rampa correto?

Em geral, o cálculo de rampa pode ser feito através de uma simples equação. Primeiro, é preciso dividir a altura do desnível pela distância da rampa no plano horizontal. Depois, multiplica-se o valor da divisão por 100 e chegará ao resultado da inclinação. É importante ressaltar que todas as medidas envolvidas no cálculo precisam estar na mesma unidade de medida, para que o processo aconteça sem erros.

No caso da rampa acessível, existe uma relação já definida que ajuda no cálculo correto de rampa do projeto. Para um desnível de 1,5 metro, o valor de inclinação indicado para cada segmento da rampa é de 5%. Se o desnível for de um metro, o valor da inclinação sobe para até 6,25%. Por fim, com um desnível de apenas 0,8 metro, a inclinação tem que ficar entre 6,25 e 8,33%.

Existem alguns casos em que as inclinações podem atingir níveis maiores. Em reformas, quando o desnível é de 0,20m, o valor da inclinação varia entre 8,33 e 10%, com um número máximo de quatro segmentos. E, para um desnível de 0,075m, ou 7,5 centímetros, a inclinação precisa estar entre 10 e 12,5%.

Para que todo o serviço seja feito de forma correta, o arquiteto responsável pelo projeto precisa incluir uma área de descanso entre 30 a 50 metros de cada rampa, com o intuito de manter um bom espaço de circulação de pessoas e que a inclusão da rampa não atrapalhe o movimento cotidiano daquele local.

blank

O cálculo de rampa também deve levar em consideração a largura da mesma. De acordo com as normas de segurança, a rampa acessível precisa ter 1,5 metros de largura, sendo a medida 1,20m o valor mínimo considerado aceitável. Para finalizar, esse estilo de rampa precisa ter um cuidado na escolha dos materiais que irão compor, ou seja, para atender todas as necessidades do público, ela deve unir um piso antiderrapante e tátil para pessoas com deficiência visual e um corrimão duplo, que irá dar apoio para aqueles que precisarem, como idosos, crianças, etc.

Inclusive, a altura aconselhada para a inserção de corrimãos é diferente de um para o outro. Segundo as normas de segurança, é preciso que um deles varia entre 65 e 75 centímetros, enquanto o outro tem que estar de 90 a 100 cm do chão. Também é necessário estender o comprimento dos corrimãos até 30 cm após as extremidades da rampa, para que eles sejam de fácil acesso para qualquer um que precisar do seu uso. O material utilizado para construí-los deverá ser liso e que não sofra variação de temperatura, se exposto ao calor ou frio.

Já no caso das rampas de garagem, alguns detalhes precisam ser levados em questão. A primeira questão é que a inclinação recomendada, no geral, é de 25%. Porém, para incluir todos os tipos e tamanhos de carros, é indicado que, nos últimos dois metros de extensão da rampa, o valor da inclinação baixe para 20%. Isso irá evitar que veículos mais baixos derrapem no final do percurso da rampa.

Assim, se você precisa de uma mão para te auxiliar no cálculo de rampa, o Amigo Construtor é o seu aliado perfeito. A empresa foi criada por conta da necessidade de dialogar com pedreiros e profissionais de construção. Ela trabalha com cimento, decoração, arquitetura, cursos e treinamentos na área e até possui um blog e redes sociais que reúnem curiosidades e dicas sobre tudo o que ocorre no meio da construção e o que pode ser de útil para o conhecimento do público geral.

Portanto, para saber mais sobre cálculo de rampa e outras informações sobre o ramo da construção civil, acompanhe o Amigo Construtor.

Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Leis e Normas